Translate

quarta-feira, fevereiro 04, 2015

Os melhores classificados


Que imagem! A expressão facial do fisioterapeuta, como quem diz: «Hum, é bom?»

Reparem na cara de satisfação da jovem, quase com uma lágrima no olho e com o pensamento distante.

Com este anúncio, sinto-me tentado a ir a uma clínica da Physioclem (Pi + cio + chlep).

quarta-feira, janeiro 28, 2015

7

Sete anos. Parece que foi ontem e ao mesmo tempo, parece que tanta coisa passou ao longo deste tempo.

Sete anos são a soma dos anos de secundário e universidade. É quase todo o tempo vivido até à entrada na primária. 7 anos são um pouco menos de um quarto da minha vida até ao momento.

Olhando para trás, que mais 7 anos se repitam. 70x7... para sempre.

segunda-feira, dezembro 29, 2014

quarta-feira, outubro 22, 2014

segunda-feira, outubro 20, 2014

Greve do Metro

Amanhã o Metro volta a fazer uma greve de 24 horas, segundo os trabalhadores contra a concessão da empresa a privados e a perda de condições de trabalho. Hoje já se sente os efeitos dessa dita greve, à hora de ponta tive de aguardar 8 (!) minutos pelo dito cujo.

Muito sinceramente, nunca desejei tanto que a empresa fosse privatizada a 100% e acabava-se com estas greves pornográficas, que passaram de trimestrais a quinzenais, de cerca de 3 horas a 24 horas. O aumento dos passes é uma ilusão, actualmente sem ser totalmente privatizada, os passes já de si têm um preço elevado, e sempre que há greve, obrigam as pessoas a levarem carro, gastando mais dinheiro em combustível e estacionamento. Nem vale a pena falar nas alternativas, apanhar um autocarro nestes dias em hora de ponta, nem vos conto.

Estamos fartos desta postura inaceitável, se querem combater a administração por causa das condições de trabalho, não podem constantemente lesar os mesmos, têm de encontrar formas de prejudicar de quem é de direito. Estas greves por seu turno, só beneficiam os gestores, os passes estão pagos, o metro está parado, logo não há despesas de manutenção, nem os salários são pagos ao trabalhadores grevistas (que por sua vez, também pouco perdem pois os sindicatos «compensam» nos dias de greve). Nem falo das tabelas salariais de um funcionário do Metro para não ficar ainda mais aborrecido, mas se já estão insatisfeitos com as «perdas de condições de trabalho», imaginem aqueles que não podem trabalhar por causa destas greves constantes.

Desabafo feito, amanhã é aguentar para mais um dia de caos em Lisboa. Infelizmente não será um só dia, com esta postura mais virão a caminho e nós a aguentarmos. Até um dia...