Translate

terça-feira, dezembro 15, 2009

Carta de uma menina de 5 anos‏

Prezada Professora Jones,

Eu gostaria de deixar bem claro que eu não sou, nem nunca fui, uma "dançarina exótica".

Eu trabalho numa loja de ferramentas e contei à minha filha o quanto a última semana foi tumultuada, antes do nevão. Nós vendemos todas as pás de neve que tínhamos. Todas, menos uma, que estava escondida no depósito e que foi alvo de disputa entre os clientes.

Portanto, o desenho que minha filha fez não me mostra dançando em torno de um poste. Ela mostra-me a vender a última pá de neve que tínhamos na loja.

De agora em diante, eu lembrar-me-ei sempre de verificar os trabalhos de casa dela mais cuidadosamente antes de entregar.


Atenciosamente,

Mrs. Smith



Este foi o trabalho de casa entregue pela menina à sua professora.

sexta-feira, dezembro 11, 2009

quarta-feira, dezembro 09, 2009

GRIPE A - prevenção.‏

Face à anunciada transformação do vírus da Gripe A, há que implementar medidas preventivas em conformidade








quarta-feira, novembro 11, 2009

Robert Enke 1977-2009

Robert Enke foi um dos melhores guarda-redes que vi passar pelo Benfica. Mesmo em anos muito maus em termos desportivos, ele foi um digno sucessor de Preud''homme. Em 1999 veio como suplente de Bossio, mas logo no jogo de apresentação com o Bayern de Munique, percebeu-se quem seria o dono da baliza encarnada.

Nunca fiquei chateado por ter saído a custo zero para o Barcelona pois compreendia as suas razões. O Benfica nesses anos nunca foi um grande em Portugal e na Europa nem se ouvia falar, a não ser pelas piores razões.

Ontem quando soube da sua morte fiquei chocado, principalmente porque se tinha suicidado. Não consigo compreender, pois são coisas que vão para lá da existência e da condição humana mas prefiro não pensar nisso. Na memória, guardo as suas grandes exibições que realizou ao serviço do meu clube e de um rosto jovem, sereno, mas que entre os postes era grande.

Fica em paz Enke.


quarta-feira, outubro 28, 2009

A 2 de Outubro lá estarei

E pronto, tá feito!!! Lá consegui o precioso bilhete para ver os U2 daqui a quase um ano. Uma noite ao relento com o sósia do Saviola, encontros imediatos com gente estranha e, no fim de contas, bastava ter ido às 10:00 da manhã para comprar o bilhete que teria conseguido na mesma. Ainda assim, nunca fiando.

A malta da organização esteve excelente, a própria FNAC teve a amabilidade de oferecer uma sandes de fiambre pela manhã ao pessoal que passou ali a noite e bastaram 30 minutos após a abertura da bilheteira para adquirir os desejados ingressos.

Pelo meio, encontrei um tipo que devia ser irmão do Frota e que foi contratado por um homem com cara de quem gosta de morteiros, só para ficar na fila durante a noite para comprar os bilhetes. O meio de pagamento não deve ter sido com um bilhete, quase que aposto.
Também houve telefonemas estranhos pela madrugada adentro, latas de amendoim a cair pelo carro e o Brusco a despertar às 08:15 com uma cor amarelada e todo queimado. Ainda assim teve forças para comprar os bilhetes, graças às minis de lata (!) que bebeu até de manhã.

Agora é esperar, mas o bilhete já cá mora.


sexta-feira, outubro 16, 2009

5 anos depois...

Hoje, eu e o Brusco lá vamos a caminho de uma noite muito longa atrás do precioso bilhete para daqui a uma ano voltarmos a ver os U2 em Portugal. Coimbra é o palco da próxima digressão.

Chamem loucura, fanatismo, bando de pitos malucos... eu prefiro chamar paixão pela maior banda do mundo com quase 30 (!) anos de existência. Por isto e muito mais, vale a pena todo o sacrificio.

It's Magnificient!!!


segunda-feira, outubro 12, 2009

O homem já andava a avisar



Reparem no slogan do candidato do PS à freguesia de Ermelo. Ao que parece, já estavam avisados do que poderia vir a acontecer.

segunda-feira, setembro 28, 2009

Votar? Isso é para meninos

40% de abstenção nestas eleições em que parecia andar tudo insatisfeito com a actual situação do país. O portuguesinho acha que não ir votar é a melhor forma de mostrar o seu descontentamento pelo actual panorama, outros - a maioria, portanto - vão passear ou ficam em casa pois é uma perda de tempo, os políticos são todos iguais, blá blá blá...

Pergunto para que raio se fez o 25 de Abril? Para que serve a liberdade e a democracia se quase metade dos eleitores não querem saber do seu futuro? Todos sabem se queixar que está mau, mas quando toca a mexer o rabinho, "ah e tal, tá frio e não me apetece".

Escrevo este texto apenas para criticar a falta de cultura politica e de iniciativa dos portugueses e não por qualquer resultado eleitoral. Apenas lamento ver, que num momento tão importante para o país, 40% da população preferiu ficar a olhar para baixo e ignorar um dever cívico e moral (atenção que acredito que houve pessoas que não puderam mesmo votar, fosse por motivos laborais, de saúde, mas não deve ter sido mais de 2%).

sexta-feira, setembro 25, 2009

Um TAPinha (em greve) não dói

Acho piada a greve dos pilotos da TAP que reivindicam um aumento dos salários por volta dos 9%.
A mim não me afecta em nada a greve porque não faço questão de viajar nos próximos dias, mas quando fiquei a saber que a média de salários dos pilotos ronda os 8 mil euros (!) só posso ficar indignado com a falta de sensatez.

Não coloco em causa se merecem ou não receber este avultado ordenado, mesmo sendo uma empresa que recebe capitais públicos, mas nesta altura do campeonato, em que ainda estamos a recuperar de uma crise, meio milhão de portugueses estão no desemprego, muitos dos que estão empregados trabalham a recibos verdes e não viram os seus miseráveis ordenados serem aumentados (muitas vezes acontece o contrário) e isto tudo, a dois dias das eleições... parece uma brincadeira, só pode.

segunda-feira, setembro 14, 2009

quarta-feira, setembro 02, 2009

PARABÉNS

Magnificent
Magnificent

I was born
I was born to be with you
In this space and time
After that and ever after I haven't had a clue
Only to break rhyme
This foolishness can leave a heart black and blue

Only love, only love can leave such a mark
But only love, only love can heal such a scar

I was born
I was born to sing for you
I didn’t have a choice but to lift you up
And sing whatever song you wanted me to
I give you back my voice
From the womb my first cry, it was a joyful noise…

Only love, only love can leave such a mark
But only love, only love can heal such a scar

Justified till we die, you and I will magnify
The Magnificent
Magnificent

Only love, only love can leave such a mark
But only love, only love unites our hearts
Justified till we die, you and I will magnify

The Magnificent
Magnificent
Magnificent




sexta-feira, julho 31, 2009

Férias

Vou de férias para o Algarve, finalmente. Estarei ausente da vida blogueira, portanto deixo aqui mais uma homenagem aos Ginjas.

És o MAIOR!!!


quarta-feira, julho 29, 2009

Coça, coça, coça...

Dentro da União Europeia, Portugal é, a par da França, o país onde os funcionários públicos trabalham menos horas por semana.

No ano passado, os funcionários do Estado trabalharam, em média, 35 horas, enquanto no resto da Europa os trabalhadores do sector público fizeram uma média de 38,3 horas semanais.
A conclusão é de um estudo do Eurofound, um instituto ligado à Comissão Europeia com sede em Dublin, e divulgado ontem.
Olhando para a totalidade da União Europeia, a Áustria é o país onde os funcionários públicos trabalham mais horas (40 por semana), tal como acontece no Luxemburgo, na Suécia e na maioria dos novos Estados-membros.
Já na Alemanha, a média chega às 39 horas por semana, enquanto em Espanha o estatuto da função pública estabelece um limite de 37,5 horas por semana.
No fundo da tabela aparecem Portugal e França (35 horas), seguidos da Holanda e da Itália, onde se trabalha 36 horas por semana.

Fonte: Renascença


Mito? Pois, pois... vão a uma repartição de finanças e depois falamos.

domingo, julho 26, 2009

Sinais do tempo

Ontem retomei um hábito de criança e de adolescente que foi passear de autocarro. A excursão foi até Ourique, terra alentejana muito bonita e interessante.

A viagem foi feita com muitas pessoas já da velha guarda e pouca juventude presente. Se a viagem de ida foi feita sem grandes sobressaltos, já a vinda foi mais atribulada.

A malta dos 50 e 60 anos vinha bastante animada e resolveu vir a cantar músicas do seu tempo. Achei aquilo bastante engraçado e em algumas músicas que conhecia até tentei acompanhar.

Tudo bem até aqui, mas no banco atrás do meu, uma rapariga, que não deveria ter mais de 16 anos e com um estilo de “Ronalda”, resolveu manifestar-se contra o cantarolar daquelas pessoas. A jovem pegou então no seu telemóvel e pôs uma música a tocar aos berros ao mesmo tempo que fazia karaoke. Depois mandava uns “chius” para o ar para ver se as pessoas se calavam. Como ninguém lhe ligou nenhuma, ela resolveu juntar-se aos cânticos.

Confesso que esta cena me deixou muito revoltado. Lembro-me da educação que me foi dada e sempre respeitei os mais velhos. Nunca fui um grande exemplo de bom comportamento na escola, mas nunca faltei ao respeito a nenhum professor ou outro empregado.

Aquela atitude de uma pita com aspecto xunga deixou-me muito triste e bastante preocupado com o futuro desta malta.
Eu, por muito menos, arriscava-me a levar um estaladão e não me queixava, pois mesmo revoltado, lá no fundo, apercebia-me que tinha feito algo de errado.

Mas estes putos de hoje em dia são muito diferentes. Todos têm telemóvel, têm roupinha de marca, falam alto e não respeitam ninguém. Acham que o mundo é deles e que as pessoas mais velhas não passam de uns quotas chatos que não os entendem. Sinais de uma geração sem valores e que não deverão ir muito longe.

sexta-feira, julho 03, 2009

Que grande momento!!!


Por momentos, enquanto assistia ao debate do Estado da Nação, até parecia que estava no café a ver a bola com os Zé Dias do bigode.

Mas ó Manel, aqui só para nós, diz lá que não fizeste isso de propósito só para te pores na alheta mais cedo, antes que alheta se metesse em ti, hein? Depois das papas Maizena e de dizeres que Portugal é um óptimo país para se investir por causa da mão de obra barata, tiveste de ir ao extremo para ires de férias mais cedo. És um maluco!

terça-feira, junho 30, 2009

Oi??? Falta de qualificações???


Os portugueses ganham pouco por falta de qualificações. É a explicação do ministro do Trabalho perante o estudo onde se diz que mais de metade das famílias portuguesas vive com menos de 900 euros por mês.


“Obviamente é preocupante, mas ficaria muito mais preocupado se essas pessoas estivessem abaixo da linha de pobreza”, disse.
O ministro do Trabalho e Solidariedade Social afirma que os índices de pobreza têm vindo a diminuir no país. Mais difícil é acabar com o fosso entre os que mais ganham e os que recebem menores salários.


Pessoalmente, Vieira da Silva diz que não se revê no retrato base do estudo sobre as necessidades dos portugueses, descritos como pobres, sem iniciativa, mas satisfeitos com a vida.
Fonte: Renascença
Epá, que descaramento, nem sei como definir estas declarações do ministro do trabalho. Mas ele não tem noção da realidade em que vive? Teria ele ido à Portugália beber umas, quando mandou estas postas de pescada?

Quer dizer, a quantidade de licenciados a ganharem 400 euros por mês a recibos verdes não entram para as estatísticas, será?
Triste país, triste política, triste governo que das duas uma, ou anda a dormir ou anda a gozar connosco. Enfim...

sexta-feira, junho 26, 2009

Todo queimado!!!


Olá pessoal!

Pessoal, pessoal!!!!

Tenho andado arredado da vida blogueira por motivos de saúde.

É verdade, ando mesmo queimado, e desta vez no sentido literal da coisa. Andei armado em cozinheiro e resolvi despejar em cima da minha mão esquerda - ou menos isso - óleo a ferver. Como resultado, uma queimadura de 2º grau.

Mas isso foi há mais de um mês e agora ando de luvinha branca, não em homenagem ao malogrado Michael Jackson - pobre rapaz, bela voz, mas também um bocado queimadinho - mas porque não posso apanhar sol para não ficar com marcas (espero que assim seja).

Para terminar, deixo aqui uma reflexão de um dos nomes grandes do séc. XX, que na noite dos santos, e após ter devorado dois pratos de caracóis, deixou a seguinte citação para a empregada do restaurante/tasca:

"Tome!!! Alivia-me o peso!"

Relembro que esta pessoa, o T portanto, após 5 copos de sangria, beijou-me na cara após algumas carícias. Não recomendo.

sexta-feira, maio 08, 2009

O 15 de Inglês de Sócrates‏



José Sócrates mostrando a utilidade do Inglês Técnico no Ensino Superior.

Vejam como se divertem os outros governantes a ouvi-lo!

Os cursos por fax têm os seus inconvenientes...

terça-feira, abril 14, 2009

Lisboeta que queria ser alentejano.‏

Havia um lisboeta que queria ser alentejano, pois estava farto da vida,do stress e de tudo o que envolve Lisboa. O que ele queria era dormir e andar descansado.

Então foi a um médico e perguntou:
- "Há alguma forma de eu ficar alentejano?"
- "Sim há! Basta tirar 20% do seu cérebro."
O lisboeta pensou e aceitou a proposta.O medico faz a operacao mas algo corre mal: em vez de tirarem apenas 20% tiram-lhe 80%.

Ao acordar o medico diz-lhe:
- "Sabe, a operação não correu muito bem e em vez de tirarmos 20% do seu cérebro, tirámos 80%."

Diz o ex-lisboeta:
- "Noun faz mal carago... o que interessa ehh o Puorto ser campeon".

quarta-feira, abril 08, 2009

É abrir a anilha até fazer sangue

Os parceiros sociais iniciam hoje a discussão do projecto de lei para o novo Código das Contribuições, que juntará num só diploma, pela primeira vez, todos os direitos e obrigações dos contribuintes e beneficiários da Segurança Social.

Para quem já se queixava de ver muitas parcelas no recibo de descontos, agora esse número vai aumentar. Com a actual proposta do Código Contributivo, no caso dos trabalhadores por conta de outrem, despesas de representação, ajudas de custo, despesas de transporte ou os valores do subsídio de refeição - seja ele atribuído em dinheiro ou em senhas - passam a fazer parte da base sobre a qual incidem os descontos. Mas, no que toca às contribuições da maioria dos trabalhadores dependentes, nada muda: no regime geral, continuam a descontar 11%.

Já atletas profissionais, como os futebolistas, continuam a beneficiar de um regime especial e podem descontar apenas sobre um quinto das remunerações efectivas. Ainda assim, no caso das entidades empregadores, as contribuições aumentam quase 5%.

Quem vai ver as contribuições aumentarem gradualmente são os membros das igrejas ou confissões religiosas. O objectivo é fixar a contribuição nestes casos em 7,6% em 2013. Outro ponto a ter em conta: os trabalhadores de serviço doméstico – como domésticas e jardineiros – vão poder ter protecção no desemprego, mesmo que comecem a trabalhar depois dos 50 anos.
O Código Contributivo vai também trazer “mão mais pesada” para os faltosos.
As falsas declarações à Segurança Social passam a ser punidas com multas mais elevadas, uma vez que vão ser consideradas contra-ordenações muito graves. No caso da coima máxima, uma sociedade que tenha, por exemplo, mais de 50 trabalhadores, pode arriscar uma multa de quase 25 mil euros.

Fonte: Renascença

Aqui estão medidas de merda deste governo medíocre e nojento. Já ganhamos uma fortuna de 500 euros de ordenado, mas pelos vistos ainda temos de descontar mais. O argumento do ministro do trabalho, Vieira da Silva é que desta forma as pessoas que estejam de baixa ou no desemprego possam receber mais de subsidio.

FDX!!!! Então mas passamos a descontar mais para os meninos que estão em casa a coçar os tomates??? Ou julgam que a maioria das pessoas que metem baixa ou estão a receber subsídios não se aproveitam da situação em que estão?

E estes gajos ainda têm a lata de pedir maioria absoluta.

sexta-feira, abril 03, 2009

Geração rasca para geração merda

Recebi este mail há uns dias e confesso que, apesar da dureza, há muita verdade em quase tudo.
Percam um bocadinho de tempo a ler isto e vejam lá se não se identificam!


A SIC montou uma gigantesca campanha de promoção para a sua nova série/novela/monte de merda, que dá pelo nome de Rebelde Way.
Depois de anos a apanhar bonés, percebeu que a melhor maneira de combater a morangada da TVI era...imitar. É lógico. Era inevitável. Depois de 20 minutos a ver a nova série (o que me provocou uma crise de cólicas da qual só um dia depois começo a recuperar) sinto-me preparado para uma análise. Bora lá.

A fórmula é a mesma nos dois canais. Aqui fica a receita:
1 - Pitas boas. Muitas, quanto mais descascadas melhor (as séries de verão são, naturalmente, as melhores, porque eles vão todos juntos para a praia).

2 - Gajos "estilosos". A coisa divide-se em dois: há aqueles que têm quase 30 anos mas fazem de adolescentes, e depois há os que são mesmo adolescentes. Estes últimos são aqueles que se levam a sério enquanto "actores". O requisito essencial para qualquer gajo que entre nestas séries é ter um penteado ridículo.

3 - O Rebelde Way tem gajas do norte. Fazem de gajas daqui, mas aquele sotaque é fodido de perder. Fica ridículo, mas as gajas são boas.

4 - Nos Morangos, a palavra "pessoal" é dita 53 vezes por minuto, normalmente inserida nas frases "Eh pá, pessoal!", no início de cada conversa, ou então "Bora lá, pessoal", antes do início de qualquer actividade.

Agora vamos à bosta que a SIC acabou de parir, com pompa, circunstância, varejeiras e mau cheiro. Chama-se Rebelde Way. Cool, man! O slogan dos Morangos era "Geração Rebelde", mas a inspiração deve ter vindo de outro lado, de certeza. O que me irrita na poia da SIC é que os gajos são todos betinhos (até os mânfios são todos giros e cool e com uma caracterização ridícula, como se fossem a um baile de máscaras vestidos de agarrados ou arrumadores de carros).
Mas depois são bué rebeldes. São bué mauzões, man! A brincar com os seus iPhone, com as suas roupinhas fashion, grandes vidas, mas muita mauzões.

Se há algo que esta geração de morangada não pode ser, não tem direito a ser, é ser rebelde. Rebelde porquê, contra quê? Nunca houve em Portugal geração mais privilegiada do que a actual, à qual esses putos pertencem. Nunca qualquer puto teve tanta liberdade e tanta guita no bolso como esta malta. Nunca as pitas foram tão boas e tão disponíveis para foder com a turma inteira como agora. Nunca houve tamanha liberdade de mandar os pais à merda e exigir uma melhor mesada porque é altura dos saldos. Rebelde porquê? Em nome de quê?

É claro que isto são pormenores com os quais as novelas não se deparam, nem têm de o fazer. O objectivo é simples: para uma geração tão privilegiada como aquela que é retratada, há que criar uma rebeldia fictícia, porque não é cool ser dondoca aos 16 anos. Mas é o que todos eles são. Há uns tempos vi, no Largo do Carmo, um bando de uns 15 putos e pitas, vestidos à "dread" com roupinha acabada de comprar na "Pepe Jeans". Um dos putos que ia à frente, não devia ter mais de 16 anos, vem a falar à idiota como se fosse dono da rua, saca duma lata de tinta e escrevinha qualquer coisa de merda na parede. Todos se riram, todos adoraram, e ele foi, durante cinco minutos, o maior do bairro. Não fiz nada, mas devia ter-lhe partido a boca toda.

Todas as últimas gerações antes desta (incluindo a minha, a Geração Rasca, que se transformou na Geração Crise - bem nos foderam com esta merda) tiveram de furar, de lutar, de fazer algo. Havia uma alienação mais ou menos real, que depois se podia traduzir nalguma forma de rebeldia. Não era o 25 de Abril como os nossos pais. A nossa revolução é a dos recibos verdes e da consolidação orçamental. Mas esta morangada sente-se, devido à merda que a televisão lhes serve e aos paizinhos idiotas que (não) a educaram, que é dona do mundo. Quando já és dono do mundo, vais revoltar-te contra quem? E por que raio haverias de o fazer?!

E assim vamos nós. Com novelas de putos "rebeldes", feitas por "actores" cujo momento de glória é entrar numa boys band ou aparecer de cú ao léu na capa da FHM, ensinando a todos os outros putos que temos que ter cuidado com as drogas (mas todos os agarrados são limpinhos, assépticos, com os mesmos penteados ridículos), que a gravidez adolescente é má (mas todas as pitas querem foder à grande, porque são donas da sua própria vida e os pais não sabem nada, etc) e que, sobretudo, este mundo lhes deve alguma coisa.

Os tomates. A mim e aos meus, o mundo deve alguma coisa. Aos que foram atrás da merda do canudo para trabalhar num call center, aos que se matam a trabalhar e são forçados a ser adultos antes do tempo. Não a esta cambada de mentecaptos. E depois estas séries vão retratando "problemas sociais da juventude", afagando a consciência de quem "escreve" aquela merda, enquanto ao mesmo tempo incentivam esta visão egocêntrica, egoísta e vácua desta geração acabadinha de sair do forno. Talvez eu esteja a ficar velho e a soar como o meu pai. Lamento se não é cool. Mas esta merda enoja-me.»

Ser rebelde pó caralhete.