Translate

terça-feira, novembro 27, 2012

A IRIS da ZON

Depois de ter sido forçado a optar pela ZON, porque a minha área de residência não tem cobertura da MEO (!), posso dizer que esta maravilhosa tecnologia denominada de IRIS é mesmo viciante.

O pouco tempo que tenho para ver televisão fica compensado por conseguir ir recuperar todos os programas, filmes e séries que mais gosto dos últimos 7 dias. Isto sim, é um serviço que merece a pena o investimento feito.



segunda-feira, novembro 26, 2012

A Vida é Bela

Começo este post pelo mais importante: quem adquiriu pacotes da A Vida é Bela, e se o fizeram na FNAC, eles estão a devolver o valor em cartão FNAC válido durante 3 meses. Até ao momento, a única empresa de que tinha ouvido falar de estar a fazer o reembolso dos packs era a Besttravel, mas a FNAC também o está a fazer, mesmo para quem não tenha o recibo da compra. O único critério é que tenham comprado numa loja FNAC e que não tenham feito uso do pack, mesmo que já tenham retirado o plástico da embalagem.


Em relação à empresa A Vida é Bela, é apenas o rosto de mais uma empresa mal gerida, como tantas centenas neste país, que de certa forma, nos colocaram neste ponto quase sem retorno. Quando tudo corre bem, é fácil promover mil e uma acções para divulgar a boa imagem, mas quando as coisas se complicam, toca a pegar no dinheiro e fugir para fora do país, deixando parceiros e consumidores sem forma de restituir o que lhe é devido. Resta agradecer à FNAC o excelente serviço que estão a prestar, pois de certa forma, são eles quem ficam prejudicados por estarem a reembolsar os clientes.

sexta-feira, novembro 23, 2012

Supremacy by Muse

Assistir a um concerto dos Muse ao vivo é algo de muito difícil de traduzir em palavras. Mesmo para quem não é fã, é difícil ficar indiferente ao espectáculo que estes 3 senhores dão ao longo de 2 horas, que bem que podiam ser umas 5 ou 6 dada a qualidade de tudo o que eles criam. Eles estão de volta a Portugal com novo álbum, "The 2nd Law", no dia 10 de Junho no Estádio do Dragão. Infelizmente desta vez não terei possibilidade de os ir ver, mas deixo aqui a primeira música do novo álbum que está maravilhoso, diferente daquilo a que estamos acostumados nos Muse, mas fazer algo de novo também tem o seu mérito e, quanto a mim, esta «supremacia» aguça o apetite.

quinta-feira, novembro 22, 2012

All That You Can't Leave Behind

All That You Can't Leave Behind foi o décimo álbum dos U2,  lançado a 30 de Outubro de 2000. A crítica recebeu com sentimento misto o álbum anterior,  «Pop» (demasiado comercial para uns, inovador para outros) e All That You Can't Leave Behind representou um regresso a um som mais convencional para a banda. Os U2 trouxeram de volta os produtores Brian Eno e Daniel Lanois, com quem produziram uma série de álbuns anteriores da banda irlandesa. All That You Can't Leave Behind vendeu mais de 12 milhões de discos, recebeu a aclamação da crítica e venceu sete Grammy Awards. As músicas "Beautiful Day", "Walk On", "Elevation" e "Stuck in a Moment You Can't Get Out Of" foram os singles de sucesso. Em 2003, o álbum foi classificado no lugar 139 na lista de «Os 500 Maiores Álbuns de Todos os Tempos» da revista Rolling Stone.


A fotografia da capa do álbum foi tirada por um fotógrafo de longa data da banda, Anton Corbijn, no Roissy Hall 2F do Aeroporto de Paris-Charles de Gaulle. As primeiras imagens da capa que foram lançadas para a imprensa mostra um sinal de partida onde se lê "F21-36", que, no entanto, foi mudado para J33-3, em referência ao versículo bíblico de Jeremias 33:3: «Invoca-Me, eu Te responderei; anunciar-te-ei coisas grandes e ocultas, que não sabes». Bono refere-se a ele como o "número do telefone de Deus". A letra "3:33 when the numbers fell off the clock face" surge na canção "Unknown Caller" do álbum «No Line on the Horizon».


Kite não foi das músicas de maior sucesso do All That You Can't Leave Behind mas é, sem duvida, das mais bonitas, mais sentimentais e com uma mensagem de esperança para todos aqueles que não se querem despedir de vez de alguém.

terça-feira, novembro 20, 2012

Ponte Vecchio em Firenze

A Ponte Vecchio é uma ponte em arco medieval sobre o Rio Arno, em Florença, na Itália, famosa por ter uma quantidade de lojas (principalmente ourivesarias e joalharias) ao longo de todo o tabuleiro.
Acredita-se que tenha sido construída ainda na Roma Antiga e era feita originalmente de madeira.  Foi destruída pelas cheias de 1333 e reconstruída em 1345, com projecto da autoria de Taddeo Gaddi. Consiste em três arcos, o maior deles com 30 metros de diâmetro. Desde sempre alberga lojas e mercadores, que mostravam as mercadorias sobre bancas, sempre com a autorização do Bargello, a autoridade municipal de então. Diz-se que a palavra bancarrota teve ali origem. Quando um mercador não conseguia pagar as dívidas, a mesa (banco) era quebrada (rotto) pelos soldados. Essa prática era chamada bancorotto.


Durante a Segunda Guerra Mundial, a ponte não foi danificada pelos alemães. Acredita-se que tenha sido uma ordem directa de Hitler.
Ao longo da ponte, há vários cadeados, especialmente no gradeamento em torno da estátua de Benvenuto Cellini. O facto é ligado à antiga ideia do amor e dos amantes: ao trancar o cadeado e lançar a chave ao rio, os amantes tornavam-se eternamente ligados. Graças a essa tradição e ao turismo desenfreado, milhares de cadeados tinham de ser removidos com frequência, estragando a estrutura da ponte. Devido a isso, o município estipulou uma multa de 50 euros para quem for apanhado, em flagrante, a colocar cadeados na ponte.

segunda-feira, novembro 19, 2012

Tempos de mudança

Arredado deste espaço e da escrita há vários meses, ponderei abandonar de vez o blog e quem sabe voltar com um novo com outras perspectivas e novos conteúdos.
No entanto, acho que nunca nos devemos desligar do passado, por muito embaraçoso que algumas coisas que fizemos possam ser, e por isso peguei no velho e tentei fazer algo diferente.
A ponte Vecchio é a imagem de fundo, uma dos principais monumentos da cidade de Florença e que já pude testemunhar ao vivo a sua beleza e grandiosidade. Esta imagem faz a ligação entre o que ficou e o presente.
O nome do blog deixa de ser Dor no Joelho, porque apesar de continuar a ser a imagem de marca de muitas brincadeiras, esta é a altura indicada para mudar. «All that you can't leave behind» ajusta-se da melhor forma ao que pretendo daqui para a frente para este blog.

De resto, a ver vamos se consigo postar com mais regularidade algumas coisas que tenho muita vontade de dizer, mas pouca vontade (preguiça) de escrever.