Translate

quinta-feira, dezembro 27, 2012

Hobbit

Fui ontem ver e serviu para matar saudades do «Senhor dos Anéis» . Já não tem o mesmo efeito surpresa, mas não deixa de ser um belo filme, com excelentes cenários e uma história envolvente. A minha parte favorita é quando surgem as águias para salvar os anões, Gandalf e o pequeno hobbit. E, claro está, o mauzão da história tinha de ser... um dragão.


segunda-feira, dezembro 17, 2012

A ternura dos 30


Uma pessoa sabe que está a ficar velha, quando depois de ir jogar à bola, fica com tantas dores nas pernas, que quase nem consegue dormir.

Em relação à imagem escolhida para este post, trata-se de uma recordação da infância, onde os playmobis eram as Playstations da época. Acho que quando o meu sobrinho mais novo desembrulhar a prenda de natal, vou ficar a brincar com ele para recordar esses tempos :)

quinta-feira, dezembro 13, 2012

La Bella Itália

Itália era um velho sonho. Destino de beleza rara, arte e cultura imperiais e uma língua magnifica. 

Em Veneza, todo o romantismo paira no ar, fluindo pelos canais que atravessam toda a cidade, rodeada de gondolas e vaporettos (semelhantes aos nossos cacilheiros). Sem automóveis, percorre-se tudo a pé. A Praça de São Marcos é um filme trazido à realidade, Murano é a terra do vidro e da Campanilla podemos vislumbrar toda a beleza desta cidade de apaixonados.



Passeio de gondola


Vista da cidade de Veneza na Campanilla


Praça de São Marcos

Florença é a cidade da arte, esculturas e quadros a que só estava habituado a ver nos livros de história. A catedral Santa Maria del Fiore é de arrepiar pela sua grandiosidade, uma Ponte Vecchio que nos faz sentir num filme, e um saltinho até aos Jardins de Miguel Ângelo vemos toda a cidade com o pôr do sol como cenário.



Catedral Santa Maria del Fiore


Vista da cidade de Florença nos jardins de Miguel Ângelo


Ponte Vecchio

Roma é Roma. Grandiosa. Deslumbrante. Fascinante. O Coliseu, Forum Romano, Arco de Constantino, Fontana di Trevi, Plaza de Spagna, o Vaticano, o tecto da Capela Sistina... as inúmeras Basílicas, Igrejas, praças... Chegado à cidade respiramos e beliscamos-nos para saber se aquilo é mesmo verdade.


Tecto da Igreja de Sant'Ignazio di Loyola


Vista do Castelo de Sant'Angelo


Vaticano


Coliseu

Morrer sem visitar estes 3 destinos é um pecado. Recomendo vivamente por tudo isto e muito mais.

terça-feira, dezembro 11, 2012

Sporting-Benfica


Parabéns SL Benfica pela boa segunda parte, desnecessário tanto sofrimento (apesar da vitória ter assim outro sabor)  e uma palavra de apreço ao Sporting para que recupere rapidamente, pois foram, são e serão para sempre os nossos rivais (qual Porto, qual carapuça). Contudo, com a actual a actual direcção que o Sporting tem... enfim, mais preocupados em pormenores irrelevantes do que a olharem para dentro e verem os seus próprios problemas, mas também não tenho nada a ver com isso.

sexta-feira, dezembro 07, 2012

Rainy Day



All night the sound had
come back again, 
and again falls
this quite, persistent rain.

What am I to myself
that must be remembered,
insisted upon so often? 
Is it

that never the ease, 
even the hardness, 
of rain falling 
will have for me

something other than this, 
something not so insistent
am I to be locked in this 
final uneasiness.

Love, if you love me, 
lie next to me. 
Be for me, like rain, 
the getting out

of the tiredness, the fatuousness, 
the semi- lust of intentional indifference. 
Be wet 
with a decent happiness.



Travis - Why Does It Always Rain On Me

quarta-feira, dezembro 05, 2012

Logo tem de ser assim

Ver o Barcelona a jogar, seja qual for o adversário, faz sempre lembrar os tempos da preparatória, quando jogava contra as turmas mais velhas, onde não fazíamos mais nada, do que andar a cheirar a bola. Sem Iniesta, Xavi, Fabregas ou Pedrito o carrossel não será o mesmo, portanto resta dizer:

Força Benfica!



1961 - Final da Taça do Campeões - Benfica 3 - Barcelona 2

segunda-feira, dezembro 03, 2012

Domingo em modo IKEA


Ainda faltam duas cadeiras... Mas montar duas mesas e 8 cadeiras do IKEA numa tarde de domingo, não está nada mau... com ajuda, claro.

terça-feira, novembro 27, 2012

A IRIS da ZON

Depois de ter sido forçado a optar pela ZON, porque a minha área de residência não tem cobertura da MEO (!), posso dizer que esta maravilhosa tecnologia denominada de IRIS é mesmo viciante.

O pouco tempo que tenho para ver televisão fica compensado por conseguir ir recuperar todos os programas, filmes e séries que mais gosto dos últimos 7 dias. Isto sim, é um serviço que merece a pena o investimento feito.



segunda-feira, novembro 26, 2012

A Vida é Bela

Começo este post pelo mais importante: quem adquiriu pacotes da A Vida é Bela, e se o fizeram na FNAC, eles estão a devolver o valor em cartão FNAC válido durante 3 meses. Até ao momento, a única empresa de que tinha ouvido falar de estar a fazer o reembolso dos packs era a Besttravel, mas a FNAC também o está a fazer, mesmo para quem não tenha o recibo da compra. O único critério é que tenham comprado numa loja FNAC e que não tenham feito uso do pack, mesmo que já tenham retirado o plástico da embalagem.


Em relação à empresa A Vida é Bela, é apenas o rosto de mais uma empresa mal gerida, como tantas centenas neste país, que de certa forma, nos colocaram neste ponto quase sem retorno. Quando tudo corre bem, é fácil promover mil e uma acções para divulgar a boa imagem, mas quando as coisas se complicam, toca a pegar no dinheiro e fugir para fora do país, deixando parceiros e consumidores sem forma de restituir o que lhe é devido. Resta agradecer à FNAC o excelente serviço que estão a prestar, pois de certa forma, são eles quem ficam prejudicados por estarem a reembolsar os clientes.

sexta-feira, novembro 23, 2012

Supremacy by Muse

Assistir a um concerto dos Muse ao vivo é algo de muito difícil de traduzir em palavras. Mesmo para quem não é fã, é difícil ficar indiferente ao espectáculo que estes 3 senhores dão ao longo de 2 horas, que bem que podiam ser umas 5 ou 6 dada a qualidade de tudo o que eles criam. Eles estão de volta a Portugal com novo álbum, "The 2nd Law", no dia 10 de Junho no Estádio do Dragão. Infelizmente desta vez não terei possibilidade de os ir ver, mas deixo aqui a primeira música do novo álbum que está maravilhoso, diferente daquilo a que estamos acostumados nos Muse, mas fazer algo de novo também tem o seu mérito e, quanto a mim, esta «supremacia» aguça o apetite.

quinta-feira, novembro 22, 2012

All That You Can't Leave Behind

All That You Can't Leave Behind foi o décimo álbum dos U2,  lançado a 30 de Outubro de 2000. A crítica recebeu com sentimento misto o álbum anterior,  «Pop» (demasiado comercial para uns, inovador para outros) e All That You Can't Leave Behind representou um regresso a um som mais convencional para a banda. Os U2 trouxeram de volta os produtores Brian Eno e Daniel Lanois, com quem produziram uma série de álbuns anteriores da banda irlandesa. All That You Can't Leave Behind vendeu mais de 12 milhões de discos, recebeu a aclamação da crítica e venceu sete Grammy Awards. As músicas "Beautiful Day", "Walk On", "Elevation" e "Stuck in a Moment You Can't Get Out Of" foram os singles de sucesso. Em 2003, o álbum foi classificado no lugar 139 na lista de «Os 500 Maiores Álbuns de Todos os Tempos» da revista Rolling Stone.


A fotografia da capa do álbum foi tirada por um fotógrafo de longa data da banda, Anton Corbijn, no Roissy Hall 2F do Aeroporto de Paris-Charles de Gaulle. As primeiras imagens da capa que foram lançadas para a imprensa mostra um sinal de partida onde se lê "F21-36", que, no entanto, foi mudado para J33-3, em referência ao versículo bíblico de Jeremias 33:3: «Invoca-Me, eu Te responderei; anunciar-te-ei coisas grandes e ocultas, que não sabes». Bono refere-se a ele como o "número do telefone de Deus". A letra "3:33 when the numbers fell off the clock face" surge na canção "Unknown Caller" do álbum «No Line on the Horizon».


Kite não foi das músicas de maior sucesso do All That You Can't Leave Behind mas é, sem duvida, das mais bonitas, mais sentimentais e com uma mensagem de esperança para todos aqueles que não se querem despedir de vez de alguém.

terça-feira, novembro 20, 2012

Ponte Vecchio em Firenze

A Ponte Vecchio é uma ponte em arco medieval sobre o Rio Arno, em Florença, na Itália, famosa por ter uma quantidade de lojas (principalmente ourivesarias e joalharias) ao longo de todo o tabuleiro.
Acredita-se que tenha sido construída ainda na Roma Antiga e era feita originalmente de madeira.  Foi destruída pelas cheias de 1333 e reconstruída em 1345, com projecto da autoria de Taddeo Gaddi. Consiste em três arcos, o maior deles com 30 metros de diâmetro. Desde sempre alberga lojas e mercadores, que mostravam as mercadorias sobre bancas, sempre com a autorização do Bargello, a autoridade municipal de então. Diz-se que a palavra bancarrota teve ali origem. Quando um mercador não conseguia pagar as dívidas, a mesa (banco) era quebrada (rotto) pelos soldados. Essa prática era chamada bancorotto.


Durante a Segunda Guerra Mundial, a ponte não foi danificada pelos alemães. Acredita-se que tenha sido uma ordem directa de Hitler.
Ao longo da ponte, há vários cadeados, especialmente no gradeamento em torno da estátua de Benvenuto Cellini. O facto é ligado à antiga ideia do amor e dos amantes: ao trancar o cadeado e lançar a chave ao rio, os amantes tornavam-se eternamente ligados. Graças a essa tradição e ao turismo desenfreado, milhares de cadeados tinham de ser removidos com frequência, estragando a estrutura da ponte. Devido a isso, o município estipulou uma multa de 50 euros para quem for apanhado, em flagrante, a colocar cadeados na ponte.

segunda-feira, novembro 19, 2012

Tempos de mudança

Arredado deste espaço e da escrita há vários meses, ponderei abandonar de vez o blog e quem sabe voltar com um novo com outras perspectivas e novos conteúdos.
No entanto, acho que nunca nos devemos desligar do passado, por muito embaraçoso que algumas coisas que fizemos possam ser, e por isso peguei no velho e tentei fazer algo diferente.
A ponte Vecchio é a imagem de fundo, uma dos principais monumentos da cidade de Florença e que já pude testemunhar ao vivo a sua beleza e grandiosidade. Esta imagem faz a ligação entre o que ficou e o presente.
O nome do blog deixa de ser Dor no Joelho, porque apesar de continuar a ser a imagem de marca de muitas brincadeiras, esta é a altura indicada para mudar. «All that you can't leave behind» ajusta-se da melhor forma ao que pretendo daqui para a frente para este blog.

De resto, a ver vamos se consigo postar com mais regularidade algumas coisas que tenho muita vontade de dizer, mas pouca vontade (preguiça) de escrever.

sexta-feira, julho 20, 2012

Adoro...


... o gesto da menina da linguagem gestual, não poderia ser mais apropriado à dança do prurido no escroto, aqui exemplificada pelos Pupilos do Kuduro.

sexta-feira, julho 13, 2012

Ainda não é desta

Já lá vão alguns meses que não publico nada no blog. Ando assoberbado com mil e uma coisas, mas ainda não é desta que faço a despedida do Dor no joelho.
Fiquem com esta pequena pérola do estagiário da RTP que assassinou o português duas vezes, nas mesma frase.


PASSOS? CONSELHO?

quarta-feira, abril 18, 2012

Os pecados e virtudes de Jesus

Ontem quando assistia ao jogo Bayern - Real Madrid, constatei que dos dois lados estavam treinadores que já haviam passado pelo SL Benfica. Jupp Heynckes e José Mourinho, dois treinadores com vários títulos e presentes nas meias finais da mais importante prova de equipas do mundo.

Ambos passaram no SL Benfica e ambos não tiveram sucesso. Recordado o último treinador que passou na Luz (antes de Jesus) e que foi campeão, Giovanni Trapattoni, também não caiu nas boas graças dos adeptos encarnados, pela pouca espectacularidade no futebol apresentado pela equipa campeã.

Jorge Jesus, chegou ao SL Benfica e logo no primeiro ano foi campeão. Colocou a equipa a jogar futebol como já não se via há muitos anos e rentabilizou vários jogadores, que encheram os cofres da Luz ao longo destas quase 3 épocas.

Hoje em dia é contestado por não conseguir colocar a equipa a jogar o futebol demonstrado na primeira época e, sobretudo, pela sua teimosia em apostar em jogadores que nunca deveriam ser primeira opção (Emerson é um dos exemplos).

Óbvio que tudo isto deixa-me frustrado e muitas vezes dou por mim a colocar em causa esta liderança na equipa. No entanto, ontem dei por mim a pensar de que realmente somos um clube que nem ao melhor treinador do mundo da actualidade, demos a oportunidade de construir uma equipa que poderia ter feito muitas conquistas. Somos muito impacientes e julgamos mais com o coração do que com a razão. Faz parte do futebol, e percebo os dois lados da barricada. Mas custa-me a aceitar ver adeptos a receber a equipa que venceu uma competição (seja ela menor ou não) com assobios e apupos. Gostava de ter visto esses adeptos a reagir com esta indignação quando a equipa foi severamente roubada em Coimbra, na Luz com o Porto ou em Alvalade. Aí sim, os adeptos deviam demonstrar o seu descontentamento, tal como a direcção que só pareceu despertar para a realidade no jogo com o Chelsea.


Jesus cometeu alguns pecados. Insiste em colocar Emerson, quando tem um Capdevila como muito melhor alternativa, mexe mal na equipa em jogos decisivos, roda pouco os jogadores quando tem um plantel de qualidade e encostou jogadores que poderiam ter sido preponderantes ao longo da época como é o caso de Saviola.

No entanto, não nos podemos esquecer que realizámos uma das melhores campanhas europeias dos últimos 20 anos na Champions, caindo de pé frente ao Chelsea, mais rotinado nestas andanças. No campeonato, fizemos uma excelente primeira volta e começámos a baquear quando estávamos na luta por um acesso aos quartos-de-final da Champions. Aí Jesus falhou, tal como referi anteriormente, ao não rodar devidamente o plantel e, mais uma vez, como aconteceu na época passada e no ano em que fomos campeões, a equipa deu o estoiro, arrastando-se jornada após jornada. Também não nos podemos esquecer das jogadas habilidosas dos bastidores, que também ajudaram em muito no desenrolar das coisas ao longo destas últimas jornadas. Houve arbitragens bastante manipuladoras e contado só os jogos com o FC Porto (3º golo em fora de jogo, portanto ficaria empatado) e Sporting CP (penaltie por assinalar, empate no mínimo) nesta altura estaríamos em igualdade pontual na liderança do campeonato.

Jorge Jesus é teimoso, melindroso nos jogos a doer e quando abre a boca é só para dizer esterco. Mas conseguiu trazer estabilidade à equipa, prestigio nas competições europeias e títulos, mesmo que alguns não sejam aqueles que mais agradariam. Defendo a continuidade até ao final do seu contrato, podendo assim demonstrar se deveríamos ou não, dar mais este voto de confiança à difícil massa associativa do Glorioso.

segunda-feira, março 05, 2012

No pasa nada

Não concordo com todos os lances que são mencionados neste vídeo. Numa visão imparcial, hipoteticamente há uma mão do Cardozo na área do Benfica e o Maxi deveria ter sido expulso no final do jogo.

No entanto, quase todos os erros não foram inocentes e condicionaram o desenrolar dos acontecimentos.
O terceiro golo do FC Porto diz tudo, só não vê quem não quer. Não é referido neste vídeo, mas não me passou ao lado. No primeiro golo do Benfica, Cardozo está a ser agarrado pelo Janko, sendo que deveria ter sido marcada grande penalidade e a devida expulsão do avançado do FC Porto, pois este estava isolado. As regras ditam que nas grandes penalidades não se aplica a lei da vantagem.

Pedro Proença tornou-se um mestre na gestão dos lances difíceis nos jogos que arbitra. Usa uma dualidade critérios larga quando lhe é útil e apita por tudo e por nada, quando necessário. Diz-se «benfiquista» e por isso pode-se sentir condicionado. Realmente, com benfiquistas destes vamos nós muito bem. É um óptimo argumento para usarmos perante a nossa entidade patronal quando fazemos porcaria.

Infelizmente, a vida continua e está tudo normal. FCP lidera, com 3 pontos de avanço (que na realidade são 4, devido ao confronto directo) e torna-se claro que não basta ter os melhores jogadores, melhor equipa ou muitos pontos de avanço (foram 5). E a direcção do Benfica tem responsabilidade, pois nada tem feito nos últimos anos para combater esta corrupção instalada no futebol português.

Como diz José Mourinho muitas vezes, quando confrontado com perguntas desconfortáveis: "no pasa nada"

quarta-feira, fevereiro 22, 2012

Toy


Aquela alarvidade que anteriormente fez furor no seu programa a solo, com tiradas míticas como chupa e coisas assim.

terça-feira, fevereiro 07, 2012

sexta-feira, fevereiro 03, 2012

Passe familiar


Com o aumento dos transportes e as greves constantes há que inovar e nada melhor que fazer uso de um passe que serve para toda a família, pelo menos por esta imagem :)