Translate

quarta-feira, abril 08, 2009

É abrir a anilha até fazer sangue

Os parceiros sociais iniciam hoje a discussão do projecto de lei para o novo Código das Contribuições, que juntará num só diploma, pela primeira vez, todos os direitos e obrigações dos contribuintes e beneficiários da Segurança Social.

Para quem já se queixava de ver muitas parcelas no recibo de descontos, agora esse número vai aumentar. Com a actual proposta do Código Contributivo, no caso dos trabalhadores por conta de outrem, despesas de representação, ajudas de custo, despesas de transporte ou os valores do subsídio de refeição - seja ele atribuído em dinheiro ou em senhas - passam a fazer parte da base sobre a qual incidem os descontos. Mas, no que toca às contribuições da maioria dos trabalhadores dependentes, nada muda: no regime geral, continuam a descontar 11%.

Já atletas profissionais, como os futebolistas, continuam a beneficiar de um regime especial e podem descontar apenas sobre um quinto das remunerações efectivas. Ainda assim, no caso das entidades empregadores, as contribuições aumentam quase 5%.

Quem vai ver as contribuições aumentarem gradualmente são os membros das igrejas ou confissões religiosas. O objectivo é fixar a contribuição nestes casos em 7,6% em 2013. Outro ponto a ter em conta: os trabalhadores de serviço doméstico – como domésticas e jardineiros – vão poder ter protecção no desemprego, mesmo que comecem a trabalhar depois dos 50 anos.
O Código Contributivo vai também trazer “mão mais pesada” para os faltosos.
As falsas declarações à Segurança Social passam a ser punidas com multas mais elevadas, uma vez que vão ser consideradas contra-ordenações muito graves. No caso da coima máxima, uma sociedade que tenha, por exemplo, mais de 50 trabalhadores, pode arriscar uma multa de quase 25 mil euros.

Fonte: Renascença

Aqui estão medidas de merda deste governo medíocre e nojento. Já ganhamos uma fortuna de 500 euros de ordenado, mas pelos vistos ainda temos de descontar mais. O argumento do ministro do trabalho, Vieira da Silva é que desta forma as pessoas que estejam de baixa ou no desemprego possam receber mais de subsidio.

FDX!!!! Então mas passamos a descontar mais para os meninos que estão em casa a coçar os tomates??? Ou julgam que a maioria das pessoas que metem baixa ou estão a receber subsídios não se aproveitam da situação em que estão?

E estes gajos ainda têm a lata de pedir maioria absoluta.

1 comentário:

Peter disse...

Ufa! Confesso que me assustei quando li o título do post!